Por Gabriel Mansur

Amanhã é Dia dos Namorados. Sim, ele mesmo, o pesadelo dos solteirões e solteironas que não têm outra escolha senão acompanhar o amor dos outros nos “feeds” das redes sociais.

É como dizia o cantor escocês John Paul Young: “Love is in The Air”. O amor está no ar, meus caros! Mas você já sabe nosso lema: o conhecimento nunca é demais. Antes de falarmos do afeto, que tal uma informação? Topa mesmo? Já que insiste…

Você sabe o porquê do Dia dos Namorados ser comemorado em 12 de junho, no Brasil? A data está relacionada ao frei português Fernando de Bulhões, conhecido como Santo Antônio.

Em seus discursos religiosos, sempre pregava a importância do amor e do casamento. Depois de ser canonizado,  em 13 de junho de 1232, ganhou fama de santo casamenteiro. O Dia dos Namorados antecede ao dia da celebração e falecimento de Santo Antônio, que é 13 de junho. 

O dia 12 de junho nunca foi feriado no país tupiniquim, o que não impede que os restaurantes fiquem abarrotados de casais apaixonados. E muito menos atrapalha os negócios. É a quinta  data mais lucrativa para o comércio – Natal, Black Friday, Dia das Mães e Dia dos Pais vêm antes.

Ou seja: envolve romance, mas também dinheiro. Não precisa misturar as coisas. “Traição é traição, romance é romance, amor é amor, e um lance é um lance. OLHA A SEQUÊNCIA DO PENTE”

As marcas, que não são bobas e nem nada, exploram esse chamego todo. Hoje, especificamente, escolhemos duas delas para abordar: a Natura e o Boticário. Duas empresas nacionais do ramo de beleza e cosméticos. Ambas apostaram na diversidade dos relacionamentos.

O Boticário decidiu retratar o que chamou de “casais reais”. No filme principal, a campanha traz diversidade com diversos tipos de casais para celebrar a data. Entre eles, é possível ver casais LGBTs tendo momentos de afeto e se beijando. Veja abaixo:

Já a Natura traz rostos famosos, como o do casal Tatá Werneck, conhecida como rainha das caixinhas de perguntas do Instagram, e Rafael Vitti, papai da Clara Maria. O curta mostra basicamente que todo amor (e beijo) é válido, seja o homoafetivo ou aquele a distância. Veja abaixo:

As duas marcas sempre mostraram-se progressistas, principalmente o Boticário. Mas é importante destacar a coragem de sair de cima do muro num Brasil muito polarizado e marcado pelo “conservadorismo”. 

O mais recomendado, talvez, seria ficar no “centrão”. Ou seja: atrair tanto os clientes mais conservadores quanto os mais progressistas. Mas ambas preferiram dar a cara à tapa. Um ato de coragem. E digno de respeito.

O Boticário, inclusive, sabia que sofreria “retaliações”. Prova disso é que o comercial ganhou um desdobramento no YouTube, que previa os comentários homofóbicos.

No “segundo episódio”, a companhia responde a uma das perguntas mais realizadas pelos preconceituosos: “como eu vou explicar dois homens se beijando?” O resultado você confere no vídeo abaixo.

A nossa opinião a respeito? Os preconceituosos que lutem! Não mediremos palavras e nem esforços para enaltecer o amor. O amor sem credo, sem raça e sem orientação sexual. Amar por amar. Hoje, em especial, encerramos com um poema. “O amor”, de Fernando Pessoa.

O amor, quando se revela,
Não se sabe revelar.

Sabe bem olhar p’ra ela,
Mas não lhe sabe falar.

Quem quer dizer o que sente
Não sabe o que há de dizer.

Fala: parece que mente…
Cala: parece esquecer…

Ah, mas se ela adivinhasse,
Se pudesse ouvir o olhar,
E se um olhar lhe bastasse
Pra saber que a estão a amar!

Mas quem sente muito, cala;
Quem quer dizer quanto sente
Fica sem alma nem fala,
Fica só, inteiramente!

Mas se isto puder contar-lhe
O que não lhe ouso contar,
Já não terei que falar-lhe

Porque lhe estou a falar…

Quer receber nossos blogs e outros conteúdos do universo do marketing digital lá no Telegram? É só entrar no nosso canal tocando/clicando no link a seguir: https://t.me/newmdsolutions