Por Gabriel Mansur

Quem não gosta de um descontinho quando vai comprar qualquer coisa? Às vezes você nem precisa daquele tênis ou carro 0km, mas é só ver a palavra “LIQUIDAÇÃO” que esse produto torna-se necessário na sua vida.

O sonho de consumo dos brasileiros neste momento atual é chegar num posto e ver que o preço da gasolina caiu pela metade. Ou ir no mercadinho da esquina e conseguir comprar um quilo de picanha sem precisar dar seu rim em troca.

E por que estamos falando disso? Porque este mês as lojas começaram a adotar o Black Friday. Que, no sentido literal, é quase uma “Black Week”.

Afinal, no Brasil tudo é carnaval: apesar de haver uma data certa, a quarta sexta-feira do mês de novembro, os lojistas sempre “extrapolam” esse prazo. Sorte a nossa, rs.

No Brasil, por exemplo, a Black Friday está entre as 10 datas mais importantes para as vendas online: e-commerce para os íntimos. E, como não poderia ser diferente, o marketing explora esse sentimento consumista da população.

O que é a Black Friday?

A Black Friday é como conhecemos a ação promocional realizada por lojistas na quarta sexta-feira do mês de novembro.

A ação tem como objetivo reforçar as vendas de final de ano e surgiu nos Estados Unidos, sendo realizada no dia após o feriado do Dia de Ação de Graças. Até hoje não se sabe a origem do termo que dá nome a essa ação.

Como funciona?

A Black Friday é uma ação promocional realizada por lojistas com o intuito de aquecer o consumo e a venda de mercadorias.

Nessa ação, veiculam-se anúncios de grandes promoções e, assim, determinados produtos são vendidos a preços tentadores. Ela é realizada na quarta sexta-feira do mês de novembro.

O parâmetro para a realização da Black Friday é o Dia de Ação de Graças (Thanksgiving Day), tradicional feriado norte-americano que é realizado na quarta quinta-feira do mês de novembro.

A sexta logo após o feriado é o momento em que as pessoas vão às ruas para aproveitar os preços tentadores de todo tipo de mercadorias, como os smartphones.

A liquidação de mercadorias após o Dia de Ação de Graças se tornou tradicional nos Estados Unidos durante o século XX.

No entanto, a ação promocional dos lojistas passou a ser conhecida como Black Friday somente a partir das décadas de 1980 e 1990. Atualmente, é uma data consolidada e arrasta multidões para as lojas nos EUA.

O sucesso da Black Friday norte-americana chamou a atenção de lojistas de outros países, e a iniciativa começou a ser introduzida em outros mercados fora dos Estados Unidos.

Mesmo não havendo feriado como o Dia de Ação de Graças, o Brasil, por exemplo, introduziu a ação em 2010.

A Black Friday começou a ganhar força no país depois de 2012 e atualmente é uma das ocasiões em que os lojistas brasileiros mais faturam com vendas.  Atualmente o faturamento com a Black Friday no Brasil é bilionário.

A prática se consolidou, e muitos lojistas fazem promoções pontuais no dia específico, enquanto outros tiram todo o mês de novembro para realizar diversas promoções.

De onde veio o termo “black friday”?

O termo “black friday” é bastante popular,  mas  ninguém sabe como e por que esse nome foi atribuído ao dia de liquidações. Acredita-se que o termo foi usado no século 19 e teve relação com um esquema criado por dois investidores para enriquecer.

Jay Gould e Jim Fisk elaboraram um sistema para que eles controlassem o mercado de ações do ouro nos Estados Unidos. A ação era ilegal e contou até com suborno de um parente do presidente Ulysses S. Grant.

Os dois investidores conseguiram fazer o preço das ações do ouro disparar e enriqueceram, mas o governo interveio na situação e começou a vender o estoque de ouro que tinha guardado.

Isso fez com que o preço das ações do ouro despencassem. Com isso, muitos que tinham comprado para aproveitar a alta, perderam muito dinheiro.

Os dois investidores conseguiram resguardar-se, vendendo suas ações antes que o preço caísse drasticamente. Eles nunca foram investigados pelo esquema e saíram ilesos de suas ações.

O dia em que houve a queda drástica no preço do ouro aconteceu em 24 de setembro de 1869 e ficou conhecido como “black friday”, que significa, em uma tradução livre, “sexta-feira negra”.

Outra hipótese: uma revista da década de 1950 que chamou a sexta-feira após o Dia de Ação de Graças de Black Friday.

A justificativa para o termo era que, de acordo com a revista, muitos trabalhadores agiam na sexta após o feriado como se fossem vítimas da black death, a peste negra em inglês, fazendo com que o dia fosse uma black friday.

A última teoria sugere que o termo Black Friday se popularizou na Filadélfia, cidade em que os policiais começaram a usar o termo para se referir à sexta após o feriado, porque havia muita gente na rua, e o trânsito ficava sobrecarregado.

E para você, qual possível origem faz mais sentido? E isso realmente importa? Indispensável mesmo é aproveitar a Black Friday como se fosse vestibular. “Não importa muito o significado, o que vale é aproveitar a oportunidade”.

Quer receber nossos blogs e outros conteúdos do universo do marketing digital lá no Telegram? É só entrar no nosso canal tocando/clicando no link a seguir: https://t.me/newmdsolutions.